Professora tem o celular roubado na frente do Colégio Xavier

Quatro homens abordaram a vítima e roubaram o seu celular

Uma professora do Colégio Antônio Xavier da Silveira, em Irati, teve o celular roubado na entrada da instituição de ensino. O fato ocorreu na noite de segunda-feira, 8.

O inspetor do colégio relatou a equipe da Guarda Municipal que a vítima foi abordada por quatro homens, que pegaram seu celular. Os agentes realizaram rondas nas proximidades da instituição, mas nenhum suspeito de cometer o crime foi localizado.

Os guardas atenderam mais quatro ocorrências na segunda-feira, 8. No bairro Rio Bonito, uma moradora da Avenida Teixeira Soares ficou com medo ao ouvir um barulho vindo de uma das janelas e acionou os agentes, que fizeram buscas no entorno da casa. Eles também realizaram vistoria no pátio do imóvel, mas não encontraram sinais de arrombamento ou pessoas suspeitas. A mulher foi orientada a chamar a Guarda novamente caso o fato se repetir.

Na Avenida Vicente Machado foi registrado um desentendimento entre duas mulheres. Uma delas questionava o local onde uma condutora estacionou o seu veículo, que estaria atrapalhando a chegada dos clientes em sua loja. Já a mulher que acionou os guardas disse que sofreu ameaças com palavras de baixo calão. Durante a abordagem, segundo a Guarda, a empresária não apresentou os documentos pessoais para identificação. Já a reclamante foi orientada a denunciar o caso na Delegacia.

Na Vila Matilde, a Guarda Municipal flagrou a queima de vegetação em uma residência na rua Athis Fernandes Silva. Foi constatado que a fumaça prejudicava o bem-estar dos moradores próximos. Os agentes estiveram no local e alertaram o proprietário sobre o parágrafo 3º, do artigo 23, da Lei 4229 (Código de Posturas), que proíbe a queima de lixo ou detritos sólidos de qualquer natureza no próprio quintal, bem como qualquer substância que resulte em odores ou efluentes gasosos tóxicos que prejudiquem a qualidade do ar. O morador atendeu a solicitação e apagou o fogo.

Já na rua Antônio Borazo, no bairro Lagoa, os guardas averiguaram uma denúncia de invasão de terreno público. Durante a abordagem, uma mulher relatou que decidiu cercar o terreno da Prefeitura para construir uma casa. Por isso, ela foi orientada a procurar o Departamento de Habitação para resolver o seu problema de moradia.

Matéria Portal Najuá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *